Pages Menu
RssFacebook
Categories Menu

Publicado em 07 de Junho de 2013 às 13:50 em Estudos | 0 comentários

Estudo do Aporte de Iodo às Populações em Portugal – Gravidez

Estudo do Aporte de Iodo às Populações em Portugal – Gravidez

 

É bem conhecida a relação entre carência do aporte de iodo e o bócio endémico. No nosso País o bócio endémico deixou de constituir problema. No entanto, trabalhos relativamente recentes, vieram indicar que deficiências moderadas de iodo podem ser causa de alterações importantes, nomeadamente durante a gravidez, situação em que as necessidades de iodo estão aumentadas. Na realidade, uma carência moderada no aporte iodado durante a gravidez pode estar na origem do desenvolvimento de bócio na mãe e de alterações cognitivas no filho.

Em Portugal,  dados  sobre o aporte em iodo em  investigações recentes vieram  revelar que, ao contrário do que se esperava, a ingestão de iodo está longe de ser adequada. Este conhecimento já conduziu em alguns Países à obrigatoriedade de adicionar iodo ao sal alimentar.

O Grupo de Estudos da Tiróide da SPEDM , efectuou dois estudos populacionais , coordenados pelo Prof. Edward Limbert, visando conhecer a ingestão iodada em todo o País. Iniciado em 2005, o estudo envolve a determinação das iodúrias em duas populações alvo: grávidas e crianças das escolas.

O estudo das iodúrias nas grávidas foi efectuado em 3631 mulheres seguidas em 17 maternidades do continente,  Açores e Madeira. Estes resultados indicam,que a semelhança de outros países europeus o aporte de iodo nas grávidas é nitidamente insuficiente . Apenas cerca de 17% das grávidas estudadas apresentam iodúrias dentro dos valores considerados satisfatórios pelas Organizações Internacionais, OMS e ICCIDD, isto é superiores a 150µg/L. Muito preocupante é o facto de que    cerca de 24% têm iodúrias muito baixas, inferiores a 50µg/L.

Está provado que a suplementação de iodo com 150 a 200 ug/dia é benéfica para mãe e filho evitando o aparecimento de bócio e alterações neuropsicointelectuais no filho.

Tendo em conta estes resultados e dada a importância das hormonas tiroideias no desenvolvimento cerebral do feto , o Grupo de Estudos da Tiroide da SPEDM  recomenda a suplementação do iodo em todas as mulheres que pretendam engravidar, durante a gravidez e lactação.

Artigo publicado:
Iodine intake in Portuguese pregnant women: results of a countrywide study
Eur J Endocrinol. 2010 Oct;163(4):631-5. Epub 2010 Jul 19.