Pages Menu
Categories Menu

Publicado em 08 de Setembro de 2022 às 11:58 em Tiróide | 0 comentários

Doenças da Tiroide e a Saúde das Grávidas

Doenças da Tiroide e a Saúde das Grávidas

É em setembro que se celebra o Dia da Grávida, uma data que serve também para alertar para os problemas da tiroide que, nesta fase tão especial da vida de uma mulher, podem marcar a sua presença e deixar marca.

Aliás, as alterações que a gravidez implica no organismo chegam mesmo a obrigar a glândula da tiroide a um esforço acrescido: não só existe um aumento dos níveis de estrogénio no sangue, como há ainda uma subida do volume sanguíneo e, logo, do volume de distribuição das hormonas tiroideias, sendo também maiores as perdas de iodo pela urina e passagem através da placenta para o feto, com eventual risco de carência.

Por serem frequentes na população em geral, sobretudo nas mulheres, é seguro também assumir que as doenças da tiroide podem estar presentes nesta fase, havendo mesmo o potencial de alteração da sua evolução causada pela gravidez. Tudo isto com potencial impacto na própria gestação, assim como na saúde da mãe e do feto. O que torna importante estar consciente destes eventuais problemas e atento aos mesmos.

E quais são então os problemas mais frequentes? O hipotiroidismo atinge cerca de 3% de todas as gestantes e, se não for tratado, pode causar alteração no desenvolvimento cerebral e intelectual do feto, estando ainda associado a casos de aborto e de parto prematuro. 

Contam-se também casos de hipertiroidismo, ainda que mais raros que os anteriores, podendo verificar-se em até 1% das grávidas. Aqui, quando não tratado, este distúrbio da tiroide relaciona-se com o aumento da incidência de aborto e de parto prematuro, baixo peso ao nascer, pré-eclampsia, insuficiência cardíaca na mãe e no feto e morte intrauterina.

A boa notícia é que, quer para o hipo quer para o hipertiroidismo, há formas de tratamento e de proteção da vida da grávida e do seu bebé!

Frequentes na gravidez são ainda as tiroidites, inflamações da tiroide que podem ocorrer em 10% a 15% das grávidas, aumentando o risco de hipotiroidismo, pelo que a função tiroideia deverá ser vigiada uma vez por trimestre. Há ainda a chamada tiroidite pós-parto, que surge nos primeiros seis meses após o nascimento do bebé, mas que costuma ter uma resolução espontânea.

 

Fonte: Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo

Publicar comentário

O seu endereço de email não será publicado.

4 × three =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.