Pages Menu
Categories Menu

Publicado em 17 de Junho de 2020 às 18:19 em Noticias | 0 comentários

Oftalmopatia de Graves, sabe o que é?

Oftalmopatia de Graves, sabe o que é?

Uma das causas do hipertiroidismo é a doença de Graves. Esta é uma doença autoimune que causa a produção excessiva de hormonas tiroideas. Existem uma série de fatores de risco associados à doença de Graves, tais como os fatores genéticos, outras doenças autoimunes, a diabetes tipo I, o stress e o tabagismo.

Entre os possíveis sintomas da doença de Graves, inclui-se a protuberância dos olhos, o inchaço, a comichão, o lacrimejo e a visão dupla. Cerca de 25 a 50 % das pessoas que sofrem de doença de Graves manifestam inflamação ou protuberância nos olhos. É a esta condição que se chama Oftalmopatia de Graves ou Orbitopatia Tiroideia.

A Oftalmopatia de Graves é, portanto, uma doença que afeta as órbitas oculares, de origem autoimune, normalmente associada a uma alteração da função da tiroide. Mais prevalente no sexo feminino, os fatores de risco incluem os fatores genéticos, o stress e o tabagismo. As formas mais graves da doença ocorrem em cerca de 5% dos doentes. Os problemas têm origem na inflamação a nível dos tecidos, dos músculos e da gordura na cavidade ocular. Esta inflamação causa assim uma protuberância anormal dos olhos. As pálpebras podem retrair à medida que a inflamação ocorre, levando à exposição e infeção da córnea.

Os sintomas desta condição incluem:

  • Irritação dos olhos, excesso de lágrima ou olhos secos, protuberância do olho, sensibilidade à luz ou mesmo visão dupla, são as primeiras manifestações da doença;
  • Olhos inchados, constrição dos movimentos ocular, com eventuais úlceras corneanas e, mais raramente, a perda de visão, numa fase mais tardia.

Normalmente, os sintomas são moderados e facilmente tratáveis. No entanto, existem casos mais graves, onde a inflamação pode dificultar o movimento do olho ou pode mesmo causar pressão sobre o nervo ótico, levando a uma diminuição da visão. Estas alterações podem ter um alto impacto na vida dos doentes.

Se já lhe foi diagnosticada a doença de Graves, o seu médico poderá diagnosticar também a Oftalmopatia de Graves através da verificação de inflamação dos tecidos da órbita ocular. Uma tomografia ou uma ressonância magnética podem ser úteis, pois nem sempre os sintomas clássicos do hipertiroidismo estão presentes. A Oftalmopatia de Graves pode ocorrer mesmo quando a tiroide não está a produzir excesso de hormonas.

O tratamento é normalmente realizado consoante a fase da doença. Numa fase inicial ou com sintomas moderados, o tratamento tem como objetivo controlar a inflamação. Para isso pode usar compressas frias, óculos de sol e mesmo lágrimas artificiais para proporcionar alívio. Um suplemento com selénio pode, também, ajudar a reduzir a inflamação. Numa fase mais avançada, a terapêutica principal para esta condição são os corticosteroides ou mesmo atuar a nível da orbita ou dos músculos oculares recorrendo à cirurgia.

É importante mencionar que o diagnóstico precoce é essencial para um tratamento eficaz e satisfatório e que evite sequelas físicas e psicológicas da patologia. Por isso, marque uma consulta se identificar alguma alteração a nível da morfologia do olho ou algum sintoma desta condição.

Fontes:

  • ADTI (https://adti.pt/2017/12/18/doenca-de-graves-o-que-deve-saber/)
  • Fox TJ, Anastasopoulou C. Graves Orbitopathy. [Updated 2019 Nov 16]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK549889/
  • Graves’ Eye Disease (Harvard Health Publishing, Harvard Medical School; https://www.health.harvard.edu/a_to_z/graves-eye-disease-graves-ophthalmopathy-a-to-z)

Publicar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 + 1 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.