Pages Menu
Facebook Instagram Youtube WhatsApp
Categories Menu

Publicado em 28 de Março de 2024 às 12:55 em Tiroide | 0 comentários

Bócio: as perguntas que precisa de fazer

Bócio: as perguntas que precisa de fazer

Já ouviu falar em bócio? Sabe o que é este problema associado à tiroide? Se ainda tem dúvidas, deixamos-lhe aqui as principais questões e respetivas respostas associadas a este problema de saúde.

O que é o bócio?

A palavra bócio refere-se a uma hipertrofia da glândula tiroide, ou seja, a um aumento anormal desta glândula, o que não significa necessariamente que exista um mau funcionamento, já que pode, de facto, surgir numa tiroide que produz hormonas em excesso (hipertiroidismo) ou poucas hormonas (hipotiroidismo), mas também numa que produz a quantidade certa. O que indica é que existe algo que está a causar um crescimento anormal da tiroide.

Qual a sua causa?

Uma das causas mais comuns é a deficiência de iodo. Tendo em conta que a principal atividade da tiroide é concentrar o iodo do sangue para produzir hormonas, a inexistência de iodo suficiente põe em causa esta função, o que dará origem a uma situação de hipotiroidismo. Nestes casos, a glândula pituitária no cérebro deteta a existência de níveis alterados e envia um sinal para a tiroide, para que esta aumente a produção de hormonas, o que resulta num aumento do seu tamanho. Um crescimento que, quando anormal, produz o que é chamado de bócio. 

Outras duas causas importantes deste problema são a tiroidite de Hashimoto, uma doença autoimune que se caracteriza por um ataque à tiroide realizado pelo próprio organismo, e a doença de Graves, às quais se juntam causas menos comuns, associadas a defeitos genéticos ou relacionadas com lesões ou infeções na tiroide.

Quais são os sintomas?

Quem sofre de bócio pode não ter quaisquer sintomas, com exceção de um inchaço na parte inferior do pescoço. Inchaço esse que, se for de grande volume, pode também causar aperto na garganta, tosse, rouquidão, dificuldade em engolir ou respirar.

Quais os fatores de risco associados ao bócio?

Ser mulher é um dos principais fatores de risco associados a este problema, que inclui ainda ter mais de 40 anos, ter história familiar de doença autoimune ou bócio, ter sido exposto à radiação em criança ou ter feito tratamento de radiação no pescoço ou no peito, ter uma dieta pobre em iodo ou ainda a toma de certos medicamentos, que podem aumentar o risco.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico começa por se fazer com um exame físico, que deteta o aumento da tiroide. No entanto, a presença de bócio indica que há um problema na pequena glândula em forma de borboleta, pelo que é importante determinar a causa do bócio, sendo necessária a realização de exames à função da tiroide ou outros testes prescritos por um especialista.

Qual o tratamento?

O tratamento depende da causa do bócio, do seu tamanho e dos sintomas, mas a boa notícia é que há forma de tratar.

 

Fontes:
https://www.thyroid.org/goiter/ 
https://www.endocrine.org/patient-engagement/endocrine-library/goiter 

Publicar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

seventeen − five =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.