Pages Menu
RssFacebook
Categories Menu

Publicado em 10 de Outubro de 2019 às 15:26 em Noticias | 0 comentários

As disfunções da tiroide também têm impacto na saúde mental!

As disfunções da tiroide também têm impacto na saúde mental!

Neste dia mundialmente dedicado à Saúde Mental, é bom reforçar que, além dos sintomas físicos, o défice ou excesso das hormonas da tiroide também pode estar relacionado com o aparecimento de várias perturbações no nosso estado emocional.

Ao contrário do que se possa pensar, existe uma relação muito estreita entre um distúrbio da tiroide e o nosso comportamento. Paralelamente aos sintomas físicos, é normal que os sintomas psicológicos também se façam notar, pois esta glândula é responsável por regular todo o metabolismo e fornecer ao nosso corpo a quantidade de energia necessária para realizar suas funções básicas. Quando isso não acontece de forma apropriada – ou seja, quando existe uma estimulação inadequada ou uma desregulação – surgem problemas, sendo os mais comuns:

– O hipotiroidismo (tireoide lenta), situação em que a glândula está pouco ativa e produz uma quantidade insuficiente de hormonas;

– O hipertiroidismo (tireoide hiperativa), quando esta produz uma quantidade excessiva de hormonas.

 
A íntima relação entre a tiroide e estado emocional
Na verdade, os transtornos psicológicos são a principal razão que leva alguém com hipotiroidismo a procurar ajuda médica. Um dos principais sintomas que resulta de uma produção insuficiente de hormonas tiroideias é a perda progressiva de iniciativa e interesse devido à diminuição generalizada da velocidade dos processos mentais.

Uma glândula pouco ativa pode provocar igualmente problemas de memória, comprometimento intelectual, dificuldade de atenção e concentração e um pensamento confuso.

Devido aos baixos níveis de atividade do seu organismo, são habitualmente pessoas com um estado psicológico mais debilitado, apresentando tristeza, melancolia e mesmo depressão.

Sem o tratamento adequado, que é feito com a reposição hormonal, os casos mais graves podem mesmo resultar em demência.

Já o excesso de hormonas tiroideias está associado a estados de irritabilidade, nervosismo, hiperatividade, impaciência e mudanças bruscas de humor. Está ainda relacionado com o aumento da ansiedade, da agitação mental, labilidade emocional e insónias.

Se a condição não for devidamente tratada, podem ocorrer delírios e alucinações, além de problemas cardíacos, ósseos, musculares e reprodutivos graves.

 
São os problemas na tiroide que provocam depressão ou o contrário?
Quer o hipertiroidismo, quer o hipotiroidismo apresentam um quadro de sintomatologia depressiva em comum, sendo necessária uma especial precaução de forma a tentar perceber se a depressão existe per se ou se é causa da disfunção na tiroide. Ou seja, antes de começar quer seja um tratamento para a depressão ou para a tiroide, deverá ter a certeza da verdadeira origem do problema.

É também sabido que a relação entre a tiroide e a mente é bidirecional. E se as disfunções tiroideias podem mascarar diferentes síndromes psiquiátricas, também é verdade que determinadas síndromes psiquiátricas também podem modificar a função tiroideia.

Desta forma, e perante a dúvida, é essencial a investigação de alterações hormonais, através da avaliação dos níveis da tiroide. Por outro lado, é importante avaliar a saúde mental dos doentes com patologia tiroideia, principalmente naqueles com alterações da autoimunidade.

 
Fontes:

Journal of Neuroendocrinology

Nature

uBibliorum

Mancini – Psiquiatria e Psicologia

Endocrine Society

MSD Manuals

Publicar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

19 − nine =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.